50 ANOS DE PRESENÇA MURIALDINA NA RESTINGA -PORTO ALEGRE

irmãs bolo _edited.jpg

            Neste ano de 2022 temos a alegria de celebrar 50 anos de presença da Congregação das Irmãs Murialdinas de São José na Restinga - Porto Alegre, “valorizando a sabedoria do passado, em sintonia com os tempos atuais”. Recordar esta história enche nosso coração de gratidão e renova a nossa esperança. 

Nestes anos passaram mais de 40 irmãs e formandas pela comunidade da Restinga, mulheres consagradas, religiosas, cidadãs, estudantes, educadoras de corações, que abraçaram, acima de tudo, a missão de servir a Deus amando ao próximo, com atenção especial aos pequenos e pobres.

            Foi no ano de 1972, quando a “Vila Restinga” estava ainda se formando com as famílias removidas da região central da cidade, que eram trazidas para a periferia com a promessa de melhoria de vida, com o slogan: “Remover para Promover”, mas na verdade só queriam deslocar o povo pobre do centro e levá-lo para longe de seus olhos, assim se formou a Comunidade da Restinga, distante do centro da cidade aproximadamente 30 Km. É nesta realidade que as Irmãs Murialdinas chegaram, convidadas pelos Pobres Servos da Divina Providência para junto com eles desenvolver um trabalho de assistência aos filhos do povo, às crianças e adolescentes empobrecidos. O carisma murialdino é então plantado nesta terra em março de 1972  e aos poucos foi crescendo, se fortalecendo, florescendo e frutificando até chegar aos dias de hoje, celebrando 50 anos de história e missão. 

             Inicialmente as atividades desenvolvidas estavam vinculadas à Paróquia Nossa Senhora da Misericórdia, catequese, visitas às famílias, atendimento de saúde, assistência social, formação dos leigos  e outras necessidades de uma comunidade iniciante. A partir de 1979 a Congregação assumiu o Centro Infanto Juvenil Monteiro Lobato, atuando na direção desta instituição até os dias de hoje. Na época o atendimento era realizado apenas para meninas, procurando preparar a dona de casa e dar condições à mulher para ter uma fonte de renda, eram oferecidos cursos de tricô, crochê, bordados, malharia, formação humana e cristã, além de alimentação e orientação às jovens.

              Ao longo dos anos a demanda e os tempos foram modificando, por necessidade das pessoas atendidas e também pela atenção aos sinais dos tempos, o atendimento se ampliou, acolhendo também os meninos e posteriormente assumindo outros dois espaços de trabalho na Restinga: o Núcleo Murialdo, na Vila Bita, e o Serviço de Convivência no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS). Assim, juntamente com uma equipe de educadores, atualmente são atendidas diretamente 300 crianças e adolescentes em vulnerabilidade social, oferecendo alimentação, atividades pedagógicas, culturais, formativas e de cidadania, dentro do sistema único de assistência social, vigente no país. Além desta atividade de Assistência Social, as irmãs participam ativamente em pastorais da Igreja, tais como: Catequese, Grupo de Jovens, Coroinhas, Pastoral Afro, Conselho Missionário, Liturgia, Formação e acompanhamento de comunidades. 

              Segundo depoimentos de algumas pessoas que acompanharam esta caminhada de 50 anos, destacou-se sempre a proximidade das irmãs com o povo, a fraternidade entre as Murialdinas e os Pobres Servos, a fé encarnada, a mediação de conflitos e busca da paz na comunidade, o trabalho em parceria com os leigos, o entusiasmo na evangelização, vivendo o que hoje o Papa Francisco chama de Igreja em Saída, sinodalidade, “religiosos com cheiro de ovelhas”.

               Assim, nós Irmãs Murialdinas que hoje estamos nesta missão, só temos a agradecer o chamado de Deus, seu infinito amor e sua bondosa Providência que nos acompanharam e acompanham sempre. A Restinga conta hoje com mais de 100 mil habitantes e os desafios ainda são grandes, o empobrecimento da população, a violência e o tráfico de drogas, a ausência de políticas públicas, as dificuldades de relacionamento nas famílias, entre outros, mas também vemos o quanto já foi conquistado, a implantação de mais escolas, hospital, serviços de assistência social, habitação, igrejas e comércio; temos a certeza de que não estamos sozinhas e que a mão de Deus é que nos guia nesta missão. “Estamos nas mãos de Deus, Estamos em Boas Mãos”. Desejamos cada vez mais seguir o que disse nosso Mestre Jesus: Eu vim para que todos tenham vida, e vida em abundância! A alegria da Murialdina é a vida feliz do povo! Que venham muitos outros anos de missão, vocações e bênçãos. !

         

irmas bita .JPG

Texto: Ir. Lidia, Ir. Eliane e Ir. Simoni (Comunidade da Restinga)